Desatino 10

Desatino / 10 [Três poemas naturais]

 

1: Uma nuvem

Uma nuvem passou

contra o céu.

Que fazes aqui, nuvem?

pergunta-lhe o céu,

quase ofendido e muito azul.

Faço o que faço

disse-lhe a nuvem redonda,

deslocando-se um nadinha

contra o céu.

Que tens tu com isso?

 

2: O anseio da rã

Um dia uma rã disse para si mesma:

“Como gostaria de ser uma águia

e, tal como a águia, voar por esses céus!

E sem demora deu um salto gigante

e voou, voou sobre o riacho espelhante,

foi cair sobre uma rocha na outra margem.

Então uma águia verdadeira

veio dos céus em voo picado e ,

caindo rápida sobre a rã

fez dela sobremesa apetecida.

 

3: O canário e o corvo

Um canário cantor divertia-se

e ria-se aos gorjeios

do ralhado e rasca grasnar do corvo.

Este não lhe prestou grande atenção,

tanto mais que acabava de achar

um anel de ouro à beira da estrada,

que logo recolheu e, brandindo-o no bico,

sussurrou: “Bem gostarias tu

de ter nas penas a cor de ouro deste anel

— só te resta esse amarelo deslavado!”

 

António Sá

[08.07.2012]

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s