Monthly Archives: October 2016

Distracção 51

Distracção / 51 [A Arca de Noé]

»»»»» Esqueço depressa as filosofias do meu filósofo, vêm quase sempre no fluxo de uma garrafa de tinto semiescondida debaixo do banco-de-jardim onde dorme. Mas a sua última filosofia sobre o aconselhamento de Donald Trump junto aos crocodilos, à maneira do ditador Idi Amin Dada, pôs-me a reflectir involuntariamente sobre o assunto, sobretudo depois de ter ouvido as recentes declarações, em tom sibilino-conspirativo, do neobroncossauro republicano candidato à presidência dos Estados Unidos da América, a respeito da suposta adição da sua concorrente democrata Hillary Clinton.

»»»»» Bem poderiam ter os crocodilos inspirado as múltiplas elocuções, díspares e disparatadas, do homúnculo, mas, tão díspares e disparatadas elas são, que não bastam crocodilos para lhas inspirarem. Achei ser necessária toda uma Arca de Noé. Assim imaginei que o gajo teria sonhos-pesadelos nocturnos, com vários animais por noite, os quais lhe dariam conselhos para as declarações-do-dia. Tanto poderia ser uma insegura corça a inspirar-lhe a noção de que ele é uma indefesa vítima de todos os imigrantes, venham eles de sul, de leste ou de oeste; quanto uma encrespada tarântula, a instilar-lhe a perfídia de que Hillary Clinton iria drogada para os televisivos debates a dois.

António Sá

[16.10.2016]

Advertisements

Distracção 50

Distracção / 50 [A opinião dos crocodilos]

 

 

»»»»» Há meses, quase um ano, que não via o meu filósofo no seu jardim! Dava-o por morto, enterrado ou cremado, não sei se tem família. Mas estava mais bem-disposto que nunca, na sua barba ridente, hirsuta, em riste. E, sempre bem informado das televisões-de-café, disparou-me à queima-roupa:

»»»»» — A Donald Trump só lhe falta aconselhar-se com os crocodilos, como fazia o presidente Idi Amin Dada, lá nos rios africanos…

»»»»» Eu desandei, reflectindo sobre se esta boutade seria politicamente correcta, mas da parte do meu filósofo sempre espero tudo menos correcção política.

 

António Sá

[12.10.2016]

 

Desatino 72

Desatino / 72 [Início de conversa]   

 

»»»»» Um grupo de gente muito popular, no sentido de pertencer ao povo-povo, e muito heterogéneo, no sentido de ser constituído por três-quatro idosos, três-quatro adultos e três-três jovens, gente de multivários sexos, reúne-se à mesa de um restaurante popular para um mais-ou-menos lauto almoço.

»»»»» Aí, uma das mais jovens, no silêncio sentado inicial entre-todos, entre-todos se resolve:

»»»»» — Bom, de que é que vamos conversar? — e volta-se rápido para o mais idoso dos idosos, talvez seu avô: — Então como é que vai a tua próstata?

 

António Sá

[02.10.2016]

 

Facturas simplificadas 2

Facturas simplificadas / 2

 

 

Explosões sucessivas

 

De explosões sucessivas se fazem

os ruídos, as luzes, e perfazem

tudo o que ouvimos e vemos,

tanto quanto ouvimos e vemos.

 

Infraexplosões a curta e longa distância,

ondas, torvelinhos vindos da distância,

separados de nós, contra nós se arqueando,

contra os nossos sentidos arqueando.

 

Qual o uso de infraexplosões contra nós?

Enfim… que seríamos sem elas? Nós

entrançados e escusos em outro mundo…

ausentes do que nos vem neste mundo…

 

 

António Sá

[30.09.2016/03.10.2016]